Sábado, 18 de Novembro de 2006

Não procures ser bom, procura ser melhor!



E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.
Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.
E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos.
Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.
Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;o pão nosso de cada dia nos dá hoje;e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores;e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amém.]
Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.
(Mt 6, 5-15)

PASSOS DA ORAÇÃO (um guião)

1. Relaxação

Fazendo silêncio interior… respirando e acalmando-se… escolhendo o sítio, ambiente de recolhimento e paz. O corpo reza

2. Presença de Deus

Cair na conta de que Deus está comigo, está comigo, está em mim, na minha história e em tudo o que me envolve… quer estar comigo e eu vou (quero) estar com Ele. Fazer um acto de fé.

3. Oração preparatória ou rectificação a intenção

Pedir a Deus que é Pai e Senhor, que “todas as minhas intenções, acções e projectos” bem como esta oração se orientem unicamente para Ele e para cumprir a Sua vontade”.

4. Composição do lugar

Conforme a matéria da oração ou texto da Escritura, imaginar a casa, a cena, as palavras, os intervenientes… metendo-me, tornando-me pesente.

5. Petição

“Pedir o que quero”, conforme a matéria proposta, pedir a graça de alcançar de Deus o objectivo que nessa oração se pretende. Por exemplo, alegria, arrependimento, luz
para discernir, conhecimento interno de Jesus, etc.

6. Leitura/meditação dos textos bíblicos ou tema das notas pessoais

À medida que vou lendo, lentamente, saborear, falar com Deus, com Jesus… entrar
num diálogo de intimidade… e ir aplicando a mim o que vou entendendo. Sem
pressa. Tomar nota dos sentimentos, das consolações e desolações, das passagens importantes, dos desejos, dos propósitos. Às vezes como quem escreve uma carta a um amigo! Ir encontrando o que mais me ajuda a estar com Ele.

7. Colóquio ou conversa final

Quando estiver para acabar a oração, nunca o fazer sem uma conversa concreta para pontualizar, resumir, fixar… agradecer. “Como um amigo fala com outro amigo”.

8. Pai-Nosso final

Ter esta ou outra forma de acabar.

9. (Avaliação)

Depois de terminada a oração, ajuda sempre pensar “Como é que correu?” e tirar conclusões vendo o que mais ajudou ou prejudicou, o que faltou. Aprende-se a orar, orando; reflectindo sobre a própria oração e melhorando. É preciso aprender a “tirar proveito” da experiência, qualquer que ela seja, com mais ou menos consolações.

Nuno Tomar de Lemos, sj
Outubro 1999

RECORDAR A MINHA HISTÓRIA COM DEUS

  • Escolho um sítio calmo;
  • Sento-me na presença de Deus;
  • Sem pressa vou recordando, deixando vir imagens, sentimentos, ideias:
    1. Os momentos em que tive o dom de sentir a Sua presença ao longo deste tempo;
    2. As ideias acerca de Deus que me foram passando pela cabeça;
    3. As fases por que passei com Deus. Aquelas que estivémos perto e aquelas em que estivémos longe;
    4. As pessoas que cruzaram a minha vida ao longo deste tempo;
    5. Os locais sagrados da minha vida neste tempo;
    6. As desilusões que tive em relação a Deus. Os momentos que precisei dele e que O senti presente;
    7. Os acontecimentos e momentos mais marcantes. Aqueles que entendi e aqueles que continuam absurdos. Os momentos em que, afinal Ele estava presente e, eu não percebi;
    8. As passagens da Bíblia que me tocaram ou que percebi que se dirigiam a mim;
  • Vou recordando sem pressa os pontos que me parecem mais importantes;
  • Aqui e ali paro para dizer alguma coisa a Deus: um agradecimento, uma pergunta, uma exclamação;
  • Pergunto-Lhe qual destes pontos Ele mais gostaria de recordar. Imagino a resposta;
  • Tomo nota por escrito, escrevendo os passos principais da minha história com Deus;
  • Se tivesse de dar um título à história desta última fase da vida, que título seria?
Nuno Tomar de Lemos, sj
Outubro 1999
categorias:
publicado por gjlumiar às 01:12

link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

posts recentes

Estamos no FACEBOOK

Noite de oração | 14 mar ...

Retiro de Quaresma 2009

56º dia Mundial dos Lepro...

Actividades Lumiar Janeir...

Vigília Ecuménica Jovem

Oração de Ano Novo

Projecto de luta contra a...

Recolha de roupa interior...

Retiro de Advento

arquivos

Junho 2012

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

categorias

aborto

actividades

diocese

gjlumiar

humor

música

notícias

oração

paróquia

reflexões

sociedade

solidariedade

vídeos

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds